Clipping

Primeiro dia do LI Encontro do Colégio Permanente de Diretores de Escolas Estaduais da Magistratura por meio de plataformas digitais discute futuro da formação de magistrados

As adequações das escolas da magistratura, ante os desafios impostos pela pandemia, foram os temas discutidos durante o primeiro dia do LI Encontro do Colégio Permanente de Diretores de Escolas Estaduais da Magistratura (COPEDEM). Promovido pela primeira vez de maneira virtual, o Evento está sendo transmitido pela Escola Superior da Magistratura Tocantinense (ESMAT) e sediado em Palmas, capital do Tocantins.

Na solenidade de abertura, o presidente do Copedem e diretor geral da Esmat, desembargador Marco Villas Boas, lembrou do processo de discussão com os demais diretores para que fosse promovido um planejamento estratégico das escolas judiciais e contasse também com um alinhamento institucional. O desembargador se lembrou das dificuldades para a implementação de tecnologias de Ensino à Distância e traçou um paralelo com a atual conjuntura, ante a pandemia. “Agora chegamos a uma situação que, por conta da pandemia de coronavírus, teve uma reviravolta total. Havia resistência quanto ao Ensino à Distância e às novas tecnologias técnicas de transmissão de conhecimento, aperfeiçoamento e aprimoramento continuados; todavia, conseguimos comprovar que o ensino profissional e a pesquisa científica são indispensáveis para aprimorar os mecanismos de justiça, e trazer inovações é essencial para a formação de magistrados e servidores do judiciário”, lembrou.

Durante o Evento, magistrados representantes das escolas da magistratura de todo o País estão discutindo o processo de atualização nos mecanismos de transmissão de conhecimentos e formação de magistrados e servidores do Judiciário brasileiro. Tendo como tema o Alinhamento Institucional e Planejamento Estratégico nas Escolas Judiciais, a manhã do primeiro dia contou com a palestra do professor doutor Luiz Roberto Liza Curi, presidente do Conselho Nacional de Educação, que explanou sobre As Escolas Judiciais no contexto do Sistema Nacional de Educação, lembrando da necessidade de readequações do processo educacional acadêmico no Brasil. “A Covid deixou marcas trágicas, vai deixar ainda muitas, vai ampliar desigualdades, mas também vai deixar lições importantes no sentido de reordenamento do espaço acadêmico, do espaço de formação de aprendizado”, frisou.

Na parte da tarde, o ministro Geraldo Og Nicéas Marques Fernandes, diretor geral da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (ENFAM), ressaltou que o diálogo da instituição com as escolas da magistratura é algo que necessita ser encarado em permanente construção e constante desenvolvimento. “Pretendemos implementar um programa de formação permanente de pesquisadores, para seguir os rumos indicados para o Poder Judiciário. Esse trabalho de pesquisa não só será fomentado por meio de incentivo e financiamentos, mas também investido na formação de tais pesquisadores, sempre atentos ao olhar do Poder Judiciário pelo Poder Judiciário”, afirmou.

A Programação do LI Encontro do Colégio Permanente de Diretores de Escolas Estaduais da Magistratura, por meio de plataformas digitais, segue, nesta sexta-feira (20), a partir das 9 horas, com palestras, debates e oficinas.

Fonte: COPEDEM