Notícias

AMAB apoia ‘Outubro Rosa’ e alerta para prevenção ao câncer de mama

A campanha Outubro Rosa está de volta para alertar sobre a importância da prevenção ao câncer de mama, além de estimular a participação da população na luta contra a doença. Três pilares são considerados estratégicos pelas autoridades: prevenção primária, detecção precoce e mamografia. A AMAB também apoia esta campanha em favor da vida.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), não há uma causa única para o câncer de mama. Diversos agentes estão relacionados ao desenvolvimento da doença entre as mulheres, como fatores relacionados a vida reprodutiva, histórico familiar, consumo de álcool, excesso de peso, falta de atividade física, entre outros. Por isso, a prática de exercícios e alimentação saudável, com manutenção do peso corporal adequado, estão associadas a menor risco.

“Tenho muito cuidado. Anualmente, faço a mamografia e ultrassom de mama. Vou sempre ao mastologista e faço meus exames periodicamente. Tenho uma alimentação muito saudável, baseada em frutas, verduras”, enfatiza a desembargadora Aidil Conceição.

Já a juíza Ana karena Nobre afirmou que mesmo com a pandemia, e evitando sair de casa desde março, realizou seus exames periódicos. “Acabei de fazer a mamografia e a ultrassom da mama. Faço anualmente todos os exames necessários. E realizado o autoexame com muita atenção”, afirmou.

Além de estarem atentas ao próprio corpo, mulheres, principalmente a partir dos 40 anos, devem fazer mamografia de rastreamento pelo menos a cada dois anos. Esse exame pode ajudar a identificar o câncer antes de a pessoa ter qualquer sintoma. Em geral, segundo o Inca, os principais sinais e sintomas são: nódulo, geralmente endurecido, fixo e indolor; pele da mama avermelhada, alterações no bico do peito e saí da espontânea de líquido de um dos mamilos. Também podem aparecer pequenos nódulos no pescoço ou nas axilas.

A desembargadora Ilza Maria da Anunciação declarou que faz o autoexame instintivamente, e lembra que a mãe foi vítima de câncer de mama. “Já o exame periódico, inicialmente, fazia de seis em seis meses. Atualmente, por orientação médica, faço anualmente ou quando sentir algo que justifique a realização de exame, logicamente por orientação médica”, disse.

Ela afirma buscar ter sempre uma alimentação saudável, à base de frutas, verduras e carnes magras, evitando enlatados e embutidos, refrigerantes e bebidas alcoólicas. “Também sou acompanhada por uma nutricionista, por ser hipertensa”, disse a magistrada.

Homens – Muitos pensam ser esta uma doença exclusivamente feminina, mas os homens também podem ser acometidos, mesmo que de forma mais rara. Dos casos de câncer de mama, 1%, em geral, é masculino. Ou seja, para cada 100 mulheres diagnosticadas, há 1 homem com o mesmo diagnóstico. Podem ser causados pelas mutações no DNA. A maioria destas mutações relacionadas ao câncer de mama em homens não é hereditária.