Notícias

Campanha do Núcleo Socioambiental do TJBA estimula ações sustentáveis

Uma campanha de alerta ambiental, idealizada pelo Núcleo Socioambiental, busca ampliar a consciência coletiva de todos os integrantes do Tribunal de Justiça da Bahia quanto às ações de sustentabilidade. A ação visa garantir o empenho dos mais de 600 magistrados, quase 8 mil servidores e cerca de 3 mil estagiários e terceirizados que integram a Corte baiana para a questão.

O Núcleo, que tem na coordenação a desembargadora Maria de Fátima Silva Carvalho, em parceria com a Secretaria Geral da Presidência e a Secretaria de Tecnologia da Informação e Modernização, está propagando as práticas que podem salvar o planeta, tais como: economia de água e energia, o descarte correto de lixo, a reciclagem e as práticas para um consumo consciente.

O TJBA tem tido uma participação ativa na conservação ao meio ambiente e na economia em água e esgoto, energia elétrica, telefonia fixa e móvel, redução do consumo de papel e material de escritório, chegando a economizar mais de R$ 6,3 milhões somente em água e energia elétrica. Os dados correspondem ao período de setembro/2020 a agosto/2021, comparado com o mesmo recorte de 2018/2019.

Outro fator relevante é a eliminação gradativa de copo plástico que leva entre 200 a 400 anos para se decompor no planeta, segundo dados do Ministério do Meio Ambiente. Além do longo período de decomposição, muitos materiais causam danos a fauna e flora marinha e à saúde de seres humanos e animais se descartados de maneira incorreta, como é o caso do plástico. A Unidade de Sustentabilidade também já desenvolveu vários projetos como Jardinagem na Corte baiana, hortas e plantou inúmeras mudas de árvores, além de aderir aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas.

A ONU e seus parceiros no Brasil, incluindo o Poder Judiciário, trabalham incansavelmente para atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e as 169 metas, para erradicar a pobreza e promover vida digna para todos, dentro dos limites do planeta. São 17 objetivos ambiciosos e interconectados que abordam os principais desafios de desenvolvimento enfrentados por todos no Brasil e no mundo. A Agenda 2030 é um plano de ação para as pessoas, o planeta e a prosperidade, que busca fortalecer a paz universal. São objetivos e metas claras, para que todos os países adotem de acordo com suas próprias prioridades e atuem no espírito de uma parceria global que orienta as escolhas necessárias para melhorar a vida das pessoas, agora e no futuro.

Os setores administrativos, que ao final do expediente, deixarem as luzes acesas, aparelhos de ar-condicionado em funcionamento, computadores ligados e telas dos monitores em funcionamento após a saída de todos os integrantes das respectivas salas, receberão um selo de alerta ambiental para corrigir a falha no dia seguinte, assim estaremos todos empenhados nesta campanha. A ronda é feita durante a noite e madrugada no prédio principal e nos dois anexos do CAB, mas esse convite se estende para as todas as unidades do Poder Judiciário do Estado da Bahia.

O Núcleo Socioambiental, atualmente coordenado pela Desembargadora Maria de Fátima Silva Carvalho, é composto pelas Juízas Marta Moreira Santana, Eduarda de Lima Vidal, Marina Rodamilans de Paiva Lopes da Silva, Renata Mirtes Benzano de Cerqueira, Ana Cláudia Silva Mesquita e Laura Scaldaferri Pessoa; os Juízes Fábio Alexsandro Costa Bastos, Marcelo Silva Britto, Raimundo Nonato Borges Braga e Gilberto Bahia de Oliveira; os Secretários Pedro Lúcio Silva Vivas (Seplan), Fabrício Nascimento Ferreira (Sead), Bianca Serra Araújo Henkes (Sejud) e Luís Augusto Bahiense Cardoso (Setim); e os servidores Thaís Fonseca Felippi Pimentel, Vanessa Santos Travessa, Maurício de Oliveira e Silva, Ana Tereza Cincurá de Souza Dantas, Leonice Santos Salgado, Jorge Medrado Júnior, José Romilson Mascarenhas, Matheus Honorato dos Santos Oliveira e Rosângela Campos de Oliveira.