Notícias

Dia do Magistrado: presidente da AMAB fala sobre os desafios da magistratura

Hoje, 11 de agosto, é comemorado o Dia do Magistrado. Para celebrar a data, a Assessoria de Comunicação do Poder Judiciário da Bahia entrevistou a Juíza Nartir Weber, Presidente da Associação dos Magistrados da Bahia (Amab). Magistrada desde o início dos anos 90, ela comenta sobre os desafios da magistratura na atualidade.

Ascom: Como é ser magistrada em uma época em que o combate à desinformação é essencial?

Juíza Nartir: Ingressei na magistratura no ano de 1990. Outra época, outros meios de enfrentamento às demandas. Um mundo menos globalizado e, em consequência, mais pobre de informações. Trinta anos depois, vivemos na era da tecnologia da comunicação e trabalhamos por meio de sistemas que nos colocam imediatamente em contato com os requerimentos e pleitos das partes e somos obrigados a agir de forma rápida para dizer o direito. Estar atento aos avanços tecnológicos e ao que se passa no mundo se tornou matéria-prima na vida de todos os profissionais, de qualquer ramo de trabalho, que vise obter sucesso na sua empreitada. Manter-se alheio ao que se passa no mundo, real ou virtual, é viver fora do contexto que a atualidade nos coloca. Conhecimento é tudo e a ignorância acerca dos temas da vida precisa ser corrigida, visando uma forma de comunicação que alcance a todos.

Ascom: Os desafios da magistratura atualmente são os mesmos de 30 anos atrás?

Juíza Nartir: De forma nenhuma. Se por um lado trabalhávamos com as dificuldades impostas por ausência de meios tecnológicos para melhorar a eficiência, por outro, na atualidade, passamos a ser exageradamente cobrados no nosso desempenho, com enfrentamento de questões de alta complexidade jurídica e aumento desproporcional da demanda, além de ficarmos muito mais expostos às críticas e ataques, nem sempre merecidos.

Ascom: Em sua opinião, qual o maior desafio que um juiz (a) enfrenta hoje, seja ele recém formado ou que já venha trilhando há alguns anos a profissão?

Juíza Nartir: Acompanhar as mudanças impostas pela evolução da própria sociedade, num mundo totalmente tecnológico, e a complexidade das relações sociais, que nos traz a cada dia matérias e direitos novos que, ao longo do tempo, foram se consolidando ou alterando no ordenamento jurídico pátrio, levando-nos à busca de conhecimento que nos capacite a atuar, ao mesmo tempo em que temos de dar conta do trabalho que se avoluma nas filas de conclusão.

Ascom: Qual mensagem deixa para os seus colegas neste dia?

Juíza Nartir: Acreditar na instituição Poder Judiciário, na certeza de que fazemos a diferença nesse mundo tão desigual e necessitado de Justiça.

 

(Replicado TJBA)