Notícias

Março Mulher – Olny Silva foi exemplo de voz ativa na magistratura

A primeira mulher desembargadora do Tribunal de Justiça da Bahia deixou a sua marca na magistratura. Olny Silva foi pioneira não apenas por integrar a Corte baiana, mas sobretudo por ser uma voz ativa na classe, tendo sido ainda a primeira representante do gênero feminino a participar da diretoria da AMAB, na fundação da entidade, em 1965. No ano passado, ela nos deixou.

“Desde a época do ginásio eu era envolvida com associações, sempre próxima das lideranças. Sempre tive essa inclinação desde o colégio”, afirmou na entrevista que concedeu para o livro “Amab – 50 anos”, publicado em 2015. Na época, também falava da honra de ter integrado a primeira turma da Universidade Federal da Bahia (UFBa), em 1946.

Olny Silva entrou para a magistratura em 1954, inicialmente na comarca de Curaçá, passando ainda por Jeremoabo e Santo Amaro da Purificação, até chegar a Salvador.

Na mesma entrevista, falou como foi o começo da AMAB, que, a princípio, contava com “uma salinha emprestada no Fórum Ruy Barbosa”, e lembrou que, à medida que novas juízas chegaram, o espaço às mulheres foi sendo ampliado, sendo criada posteriormente uma “Ala Feminina” na Associação. A desembargadora se aposentou em 1993, e continuou sendo uma participante ativa na vida associativa, até partir para outro Plano em 2019.